Aristides, tão querendo roubar minha bicicleta!

Pega mas não pega tudo não

A história da Moral e Bons Costumes

Paranga de Castelo

A história da beterraba

Olha, sem as mãos!

O que é isto?

São tantas recomendações...

O primeiro disco da Moral

PEGA MAIS NÃO PEGA TUDO NÃO

Aniversário de Frederico Alfredo Rossi, não foi organizado nenhum mega evento, apenas a presença da Moral (Largura, Bocca e Alemão), além do performático Pancho e a família do aniversariante.

Na verdade, essa festa era um motivo pra Moral se reunir, tocar todas as músicas de sua autoria (que não eram muitas) e tomar tudo que estivesse ao nosso alcance. Um ensaio etílico, vamos assim chamar. Porém (ah porém) o Alemão levou sua namorada e sua cunhadinha.

Após a entrega dos presentes do Frederico (um magi-click, uma casaca linda comprada nas lojas barateiro e outras coisinhas mais) foi chegado o momento da seguinte frase:

Galera acabou tudo, não tem mais o que beber (bebemos tudo da casa do Luizinho e da casa do irmão dele também). Nessa altura (e coloca altura nisso), a galera tava bem animada - as únicas que não estavam entendendo nada era as convidadas do alemão.

Bem, chegou a hora de ir embora. Claro, todos no carro da Alemão, pois era o único motorizado naquele momento. Banco de trás: Bocca, Largura, Frederico e Pancho; no banco da frente: Alemão, sua namorada e a cunhada. Vale ressaltar que estamos falando de um Fiat 147 todo arrumadinho, tinha até teto solar (o qual nos serviu brilhantemente).

Após todos se ajeitarem no carro, fomos sentido ABC. Não é longe, mas da forma que todos se encontravam parecia uma eternidade. Foi quando o primeiro marujo não agüentou e começou a vomitar. Largura - essa foi a vítima - vomitava na mão e jogava pra fora do carro. Enquanto isso, Frederico, Pancho e Bocca (a essa altura em pé no banco com o corpo pra fora do teto solar) continuavam a beber.

Nesse momento o Alemão, já nervoso, resolve parar o carro. Isso em frente ao fórum de São Caetano do Sul. Pediu para que todos saíssem do carro pra tentar limpar o sujeira que estava incomodando sua namorada e sua cunhada. Os rapazes desceram do carro, subiram no muro do fórum e aproveitaram para descarregar um pouco da cerveja, fazer discursos, cantar etc.

Voltaram ao carro e todos que lá ficaram estavam com uma cara não muito amigável. Porém (aaah porém), no estado que estavam, pouco importava cara feia de alguém. Seguiram rumo a Santo André para o Chock (esse era o bar na mente dos rapazes). Continuou a cantoria, os discursos e as vomitadas dentro do carro. Isso foi inervando o Alemão, que de repente parou o carro e pediu para que todos descessem e fossem a pé ao destino. "Chega! SAIAM DO CARRO!"

Foi o que os pobres rapazes fizeram: desceram do carro e o Alemão se foi com suas convidadas, todas azedas graças ao Largura.

Neste momento tudo mudou, pois o Largura não conseguia andar sozinho e naquela época o menino já era pesado. O Pancho saiu do carro e sumiu (será que ele saiu do carro mesmo? Pois ninguém mais o viu!), ficaram o Bocca e o Frederico encarregados de segurar o Montureira em pé. Pararam em uma padaria, compraram umas duas tônicas, deram ao Largura e esperaram uma melhora significativa pra poder seguir, agora rumo a casa do Bocca, pois estavam muito chateados com o Alemão. "Onde já se viu? Fazer isso com os amigos da banda..."

Após uns vinte minutos, colocaram o Largura ,já inconsciente, em um táxi (um Corcel 2 branco) e seguiram até a casa do Bocca. No caminho a paisagem vista do táxi, principalmente pra quem estava atrás, ia mudando de acordo a esvaziada que o Largura dava em seu estômago (o "hôme" vomitou mais, muito, muito mesmo). Chegando à casa, os rapazes conscientes perguntaram quanto tinha ficado a viagem, e o preço mencionado pelo taxista com certeza era o da viajem e da lavagem que o táxi, pois a madrugada havia acabado pra ele também. Após o anúncio da "facada", tiveram que recorrer ao bolso também do Largura, afinal ele era o sujeito da frase: "Vomitaram no meu táxi, quem vomitou? O Largura."

E foi nesse exato momento que, independente do estado alcoólico que o Largura se encontrava, quase inconsciente ao o acordarem e solicitarem sua carteira, o mesmo adverte:

"Pega, mas não pega tudo não..."

É mole?